AddThis Social Bookmark Button
Life beat novNão lhe passa pela cabeça descurar a revisão do seu automóvel ou entrar num avião sem ter a certeza de que as revisões estão em dia. Porque arriscar a sua vida está fora de questão. Então, porquê arriscar a sua saúde quando pode identificar precocemente algumas doenças letais e assintomáticas com exames de diagnóstico simples e cientificamente validados?


Somos diariamente sensibilizados para a importância de prevenir o mau funcionamento dos mais diversos equipamentos, do nosso automóvel aos eletrodomésticos lá de casa. Curiosamente, parecemos estar mais disponíveis para interiorizar esta mensagem – a de que importa zelar por determinados produtos – do que em apostar no diagnóstico precoce de doenças que podem pôr em causa a nossa própria vida. Se não estamos dispostos a andar de carro sem ter a certeza de que os travões funcionam, também não deveríamos ignorar a possibilidade de estarmos a desenvolver uma doença silenciosa e mortal. Quando dirigida a grupos de risco, a associação entre uma avaliação de risco e determinados meios de diagnóstico corresponde a programas de manutenção ao serviço do nosso corpo, que deveria estar no topo de todas as prioridades. É que este nosso sistema orgânico está longe de poder ser substituído. «Enquanto sociedade, adotamos um conjunto diário de medidas de prevenção para garantir o bom funcionamento de diversos equipamentos. É importante que o façamos também em relação ao nosso corpo e ao nosso bem-estar, que nos protejamos da mesma forma», defende Miguel Barreiros, administrador do Life Beat. Este centro de diagnóstico em Lisboa pratica uma abordagem diferenciada da saúde, apostando na prevenção secundária e no diagnóstico precoce suportado pela «evidência».

Coração, a “máquina” que não pode falhar
De todos sistemas do nosso corpo, o circulatório tem um papel central. A vitalidade dos demais órgãos depende do bom funcionamento do coração, pelo que nunca é demais empreender uma vigilância apertada. A doença coronária é uma das que apresenta maior índice de mortalidade no nosso país: o seu rastreio não só é possível como absolutamente necessário, em particular se estivermos perante a existência de determinados fatores de risco, entre os quais ser fumador.
No Life Beat o diagnóstico desta patologia faz-se pela aferição do score de cálcio. Está cientificamente comprovado que este indicador é o mais eficaz na avaliação de risco cardíaco e na diminuição da mortalidade, nomeadamente no que ao enfarte agudo do miocárdio diz respeito. A presença de depósitos de cálcio nas artérias coronárias é um indício incontestável da existência de placas ateroscleróticas, responsáveis pela oclusão das artérias coronárias encarregues de enviar sangue oxigenado até ao coração.

Fumadores: confirmado risco cardíaco superior
Apesar de ser clinicamente reconhecido que o tabaco é prejudicial para a saúde do coração, a verdade é que até ao momento não existia nenhuma evidência científica. «Muito se sabe sobre o elevado risco de mortalidade dos fumadores, mas a relação entre o tabagismo e o cálcio arterial coronário (CAC) nunca fora verdadeiramente explorado», salientaram os autores do artigo “Mortality Rates in Smokers and Non Smokers in the Presence or Absence of Coronary Artery Calcification”, o primeiro estudo a explorar esta possível conexão e que foi publicado não “JACC: Cardiovascular Imaging, Journal of the American College of Cardiology”, na edição de 1 de outubro de 2012. Qual a mortalidade por evento cardíaco inerente a um fumador que apresente CAC? E a de um fumador que não tenha indícios de calcificação coronária? Foram estas as questões que os investigadores esperaram ver respondidas ao longo de quase seis anos, período durante o qual foram seguidos os cerca de 44 mil indivíduos assintomáticos que constituíram a amostra do estudo. As conclusões foram claras: os fumadores com cálcio arterial coronário apresentaram maiores índices de mortalidade por complicação cardíaca, relativamente aos fumadores sem CAC.

Conheça o seu risco
Em relação aos não fumadores, os indícios foram ainda mais relevantes: ao todo, o grupo dos fumadores registou o dobro do número de mortes dos não fumadores (4% vs 2%). Assim, uma das maiores virtudes deste estudo foi a confirmação de que os hábitos tabágicos constituem uma causa indelével de mortalidade no que diz respeito «a todo o espetro de aterosclerose coronária», nas palavras dos próprios os autores do estudo.
Foi possível concluir, ainda, que os fumadores com ausência de cálcio coronário não têm motivos para respirar de alívio: durante o período de avaliação, apresentaram um risco de mortalidade quase quatro vezes superior ao dos não fumadores.
A avaliação de risco cardíaco em fumadores nos moldes do estudo publicado no “JACC: Cardiovascular Imaging” está acessível, em Portugal, através do Life Beat. Aqui, o score de cálcio é aferido com recurso ao EBT (Electron Beam Tomography), tomografia de baixa dose que foi utilizada no rastreio dos cerca de 44 mil participantes. Se é fumador e tem mais de 45 anos (ou fumadora e tem mais de 55) este é o exame que lhe permite conhecer o seu risco de enfarte agudo do miocárdio e, quiçá, incentivá-lo a deixar de fumar.


DESTAQUE
Rastreio do Cancro do Pulmão

A tomografia de baixa dose por EBT do Life Beat permite também realizar o rastreio do cancro do pulmão ao identificar lesões cancerígenas num estádio precoce de desenvolvimento. Um estudo realizado pelo Instituto Nacional do Cancro dos EUA, publicado o ano passado, concluiu pela primeira vez que o diagnóstico por imagem computorizada reduz em 20% a mortalidade num grupo de risco para este tipo de cancro. Fumadores ativos, com idade compreendida entre os 55 e os 74 anos, ex-fumadores há 15 anos ou menos e com historial de mais de 30 UMA – Unidades Maço Ano (Nº cigarros por dia/20 X Nº de anos a fumar) – inserem-se no grupo de pessoas com risco elevado, às quais se destina o rastreio de cancro do pulmão do Life Beat.
  

Contactos

Life Beat – Centro de Diagnóstico Avançado
Rua Mouzinho da Silveira, 27C
1250-166 Lisboa
Tel.: 211 922 040
Site: www.lifebeat.pt
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.